REGIONAL ABC A REGIONAL SOMOS NÓS
VOLTAR

BEZERRA DE MENEZES

1831 

Nasce em 29 de agosto, Adolfo Bezerra de Menezes, no Riacho do Sangue, Estado do Ceará sendo seus pais: Antônio Bezerra de Menezes e Fabiana de Jesus Maria Bezerra.

1838

entra para a escola pública da Vila do Frade.

1842

continua seus estudos no Rio Grande do Norte, Serra do Martins, Vila da Maioridade.

1844

com 15 anos de idade, substitui algumas vezes o professor nas aulas de latim.

1846

completa seus estudos preparatórios no Liceu de Fortaleza.

1851

embarca em 5 de fevereiro para a Côrte a fim de fazer o curso de Medicina.

1852

praticante e interno no Hospital da Santa Casa da Misericórdia.

1856

doutora-se em Medicina, obtendo em todos os anos do curso a nota "Optima cum Laude"!

1857

sócio efetivo da Academia Imperial de Medicina.

1858

cirurgião-tenente do corpo de saúde do Exército.

casa-se em 6 de novembro com D. Maria Cândida de Lacerda.

1859

redator dos Anais Brasilienses de Medicina até 1861.

1860

a insistência dos moradores da freguesia de São Cristóvão inclui seu nome na lista de candidatos à vereança

do Partido Liberal.

1861

empossado no cargo de vereador demite-se do cargo de Secretário interino do Corpo de Saúde do Exército.

1863

falece sua esposa D. Maria Cândida de Lacerda em 24 de março, deixando-lhe dois filhos.

1864

reeleito para o cargo de Vereador para o período 1864/68.

1865

casa-se em 21 de janeiro com D. Cândida Augusta de Lacerda Machado com quem teve sete filhos.

1867

presidente interino da Câmara Municipal da Côrte.

deputado Geral pelo Distrito da Côrte.

1873

 reeleito vereador para o Distrito da Côrte até 1881.

1875

inicia o estudo do Espiritismo.

1877

presidente interino da Câmara Municipal da Côrte.

1878

presidente efetivo da Câmara Municipal da Côrte até 1881, 

novamente Deputado Geral pelo Distrito da Côrte até 1885.

inclusão de seu nome na lista Senatorial do Ceará.

1879

homenagem dos súditos portugueses residentes na Côrte ofertando-lhe seu retrato a óleo em tamanho natural pelo pintor Augusto Rodrigues Duarte.

1885

encerra suas atividades políticas no posto de Presidente da Câmara Municipal e deputado Geral Pelo Distrito da Côrte.

1886

em 16 de agosto proclama, publicamente, sua adesão ao Espiritismo.

1887

inicia sob o pseudônimo de MAX uma série de artigos doutrinários espíritas em "O Paiz", jornal dirigido por Quintino Bocayuva e no "Reformador", órgão da Federação Espírita Brasileira.

1889

presidente da Federação Espírita Brasileira e do Centro Espírita do Brasil.

1890

Vice-Presidente da Federação Espírita Brasileira.

Representação em defesa do Espiritismo ao Marechal Deodoro da Fonseca

1891

Vice-Presidente da Federação Espírita Brasileira.

Traduz o livro "Obras Póstumas" de Allan Kardec, editado em 1892.

1893

Representação em defesa do Espiritismo ao Congresso Nacional.

1894

Diretor efetivo do Centro da União Espírita de propaganda no Brasil.

1895

 Presidente da Federação Espírita Brasileira.

 reeleito Presidente até sua desencarnação ocorrida em:

1900

dia 11 de abril às 11 horas e 30 minutos no Rio de Janeiro.

 

ADOLFO BEZERRA DE MENEZES

Foi membro:

-Academia Nacional de Medicina e honorário da secção Cirúrgica.

-Instituto Farmacêutico
- Sociedade de Geografia de Lisboa.
- Sociedade Auxiliadora da Indústria Nacional.
- Sociedade Físico-Química.
- Sociedade Propagadora das Belas Artes.
- Sociedade Beneficência Cearense, (Presidente).
- do Conselho do Liceu de Artes e Ofícios.
- Companhia Carris Urbanos de São Cristóvão, (Presidente).
- Companhia Estrada de Ferro Macaé a Campos, (Fundador).
- Companhia Arquitetônica, (Diretor).


Artigos e Obras publicadas:

- Diagnósticos do Câncer.
- Algumas considerações sobre o cancro, encarado pelo lado do seu tratamento.
- Das operações reclamadas pelo estreitamento da uretra.
- Biografia do Visconde do Uruguai, Paulino José Soares de Souza.
- Biografia do Visconde Caravelas, Manoel Alves Branco.
- A Escravidão no Brasil, e medidas que convém tomar para extingui-la sem dano para a Nação.
- Breves considerações sobre as secas do Norte.
- Os Carneiros de Panúrgio.
- A Doutrina Espírita como Filosofia Teogônica ou Uma Carta de Bezerra de Menezes.
- A Loucura sob Novo Prisma.
- Espiritismo, (Estudos Filosóficos).
- Os Mortos que Vivem.
- Segredos da Natura.
- A Pérola Negra.
- Evangelho do Futuro.
- Lázaro, o Leproso.
- História de um Sonho.
- O Bandido.
- A Casa Assombrada.
- Viagem através dos Séculos.
- Casamento e mortalha, (incompleto).
- Redigiu a "A Sentinela da Liberdade" no período de 1869/70.
- Artigos doutrinários espíritas no jornal "O Paiz" no período de 1877 a 1894.
- Redator-chefe do "Reformador", órgão da Federação Espírita Brasileira.

 Obras e Mensagens Mediúnicas
Médium: Waldo Vieira
comunicações nas seguintes obras:

-         Entre Irmãos de Outras Terras
- Seareiros de Volta
Médium: D. Yvonne A. Pereira 
Obras:
- Nas Telas do Infinito
- A Tragédia de Santa Maria
- Dramas da Obsessão
Médium: Francisco Cândido Xavier comunicações nas seguintes obras:
- Nosso Livro
- Cartas do Coração
- Instruções Psicofônicas
- O Espírito da Verdade
- Relicário de Luz
- Dicionário d'Alma
- Antologia Mediúnica do Natal
- Caminho Espírita
- Luz no Lar

 


Homenagem do Departamento de Divulgação e Livraria "Auta de Souza" do Centro Espírita "Ângelo Ramos" Rua Casimiro de Abreu, 754 - casa 11, Pari - São Paulo.


Revista Internacional de Espiritismo
Dezembro de 1970

 

Nota da Editora: Espécie de trabalho intelectual há em que é impossível saber se se movimentou mais o coração ou a inteligência. Estudo em que as informações vêm saturadas de tanto sentimento e parecem depender tanto desse sentimento, que é difícil admitir seja possível apenas à inteligência. Intelectual desse tipo saltou, recente e inesperadamente, ante os olhos espantados das audiências espíritas. 

Trata-se de Stig Roland Ibsen, co-autor, com Edith Nóbrega Canto Ibsen, do já célebre "Catálogo das 100 Obras de Francisco Cândido Xavier" Stig é único. Para confirmar sua singular dicotomia, publicamos o seu estudo biográfico cronológico de Adolfo Bezerra de Menezes, este trabalho enxuto que veio para ficar.

 

Bibliografia

-         Prezalindo Lery Santos.
Pantheon Fluminense, Esboços Biográficos - Rio - 1880.
- Barão Guilherme Studart 
Dicionário Bio-Bibliográfico Cearense - Fortaleza - 1910.
- J. F. Velho Sobrinho
Vol. II - Dicionário Bio-Bibliográfico Brasileiro pgs. 335/336
- Rio - 1940.
- Canuto de Abreu
Vida de Bezerra de Menezes.
- Sylvio Brito Soares
Vida e Obra de Bezerra de Menezes.
- Ramiro Gama
Lindos Casos de Bezerra de Menezes.
- Zêus Wantuil
"Grandes Espíritas do Brasil":

- F. Acquarone
Bezerra de Menezes, "O médico dos Pobres" – editora Aliança

 


VOLTAR